Inteligência Emocional na Vida Amorosa

Você sabe o que é inteligência emocional? E como ser inteligente emocionalmente na sua vida amorosa?

A nossa sociedade acaba por dar uma ênfase maior na nossa racionalidade e inteligência cognitiva e com isso aprendemos que quanto mais práticas formos, melhor. E atrelado a esse aprendizado está o oposto, onde aprendemos também que precisamos seguir nosso coração, ou seja, deixar a emoção fluir. Percebeu que contradição existe?

Na vida amorosa não é diferente, ensinadas com frases do tipo “no final, o amor sempre prevalece”, ao mesmo tempo somos aconselhadas a buscar um parceiro que tenha vários atrativos que são escolhidos através da racionalidade, ficamos então na dúvida entre o racional e emocional. Se nos fixarmos na busca de um parceiro perfeito a frustração é certa, mas, se também deixarmos a emoção dominar sabemos que as chances de frustração também é alta.

Diante disso, como encontrar um equilibrio adequado entre razão e emoção?

A inteligência emocional é a habilidade para reconhecer, controlar, e comunicar de maneira efetiva as nossas emoções, além de reconhecer as emoções nas outras pessoas. Quando as nossas habilidades associadas à inteligencia emocional estão bem desenvolvidas, asseguramos uma forte capacidade de gerir as nossas emocões que nos ajuda a construir  e manter um relacionamento sólido e  saber comunicar com clareza.

Sem pestanejar, a inteligência emocional é uma das habilidades mais valiosas do ser humano em qualquer área da vida e na vida amorosa não é diferente, tanto quando se está solteira, vivendo um relacionamendo, ou término.

Vamos falar algumas destas habilidades agora

  • Atrair relações saudáveis e fazer escolhas mais assertivas

Se a emoção fala mais alto, seja por carência, por baixa autoestima, ou por pouca autoconfiança, a dificuldade em atrair relacionamentos mais satisfatórios aumenta, pois você acaba permitindo que pessoas tóxicas entrem em sua vida. Se você escolhe somente o caminho da razão pode cair numa armadilha e viver relacionamentos frios e distantes devido ao fato de você dar maior ênfase aos atributos externos e esquecer que a “química” entre o casal é fundamental. Equilibrar estes dois caminhos é saber reconhecer o que é bom ou ruim e agir diante disso.

  • Ensina que você é responsável pelo tipo de relacionamento que você tem.

Comportamentos como esperar do outro o que na verdade você precisa dar para si mesma ou colocar expectativas demais no parceiro, são demonstrações de que você está permitindo que a emoção fale mais alto e se colocando sempre como vítima de tudo que vive. Ao mesmo tempo que o excesso de racionalidade pode manter você em um estado excessivo de alerta, e pouco aberta a diálogos. A inteligência emocional te permite saber o que é de sua responsabilidade dentro da relação e o que é de responsabilidade do seu parceiro, te mantendo como protagonista e não como vítima.

  • Te faz pensar antes de agir ou reagir

Brigas e discussões que acontecem, aquela insegurança e medo de perder, fruto de decepções passadas, ou do que você aprendeu sobre se relacionar, as reações passionais. Saber gerir as suas emoções nesses momentos e reagir de forma adequada é sinal de que você está colocando em prática sua inteligência emocional. Nestas situações, o ideal é não falar no apse da emoção, porque sempre se fala mais do que gostaria, pensar sobre essa emoção e sobre a situação é o que fazem a pessoas que já estão habilidosas na inteligência emocional. Ao passar por este tipo de situação procure se acalmar e se faça a seguinte pergunta: “Por que me sinto assim?” Qual a melhor maneira de agir? O que eu diria para uma amiga se estivesse passando por isso?

  • Te fará entender o nãos que a vida te trará

Ouvir um NÃO é dificil pra você? No mínimo pode causar desconforto, essencialmente quando o sim seria a resposta ideal. No entanto, não somos capazes de controlar as emoções e decisões alheias mas podemos ser capazes de reconhecer essas emoções nos outros para reagirmos mais inteligentemente a elas. Nos momentos em que você se torna receptiva a conhecer novas pessoas e talvez se relacionar afetivamente você estará mais aberta à possibilidade de um não, pois além de você também saber que pode escolher dizer um não você também pode receber um não e isso não será motivo para te deixar triste pelos cantos, você saberá encarar o fato de que os nãos muitas vezes é o mais coreto e digno de ser dado.

  • Você será uma parceira melhor

Relacionamentos amorosos exigem de nós, paciência, comunicação, empatia, negociações. Sem essas habilidades sabemos que é muito difícil manter um bom relacionamento que sobreviva às dificuldades que todo casal vivencia. Você pode manter um relacionamento amoroso sem estas habilidades,no entanto, será mais trabalhoso, desgastante e pouco satisfatório.

Você já realizou aconselhamento ou consultoria sobre sua vida amorosa e sentiu que nada mudou como você gostaria que acontecesse?

As emoções são as peças de construção de cada relacionamento que vivemos, e o poder dessas emoções não pode ser negligenciado nunca. As emoções na grande maioria da vezes superam a nossa racionalidade e influenciam profundamente o nosso comportamento, quase sempre sem a nossa consciência. A maioria das pessoas buscam o aconselhamento no relacionamento amoroso para encontrarem respostas para problemas que acreditam serem as responsáveis pelos seus conflitos, sem perceberem que existem questões mais profundas. A autoestima por exemplo, se molda de acordo com as experiências que temos durante a vida. As fases da infância e da adolescência são muito importantes para construir uma boa autoestima. Uma pessoa com a autoestima baixa não faz escolhas conscientes, pois não gosta de si mesma, de seu comportamento, sofre por se considerar inadequada, não acredita em seu potencial, entre outras coisas. Muitas vezes, o que está interferindo negativamente no relacionamento é a baixa autoestima, mas o que é enfatizado são as suas consequências e não a causa raíz, pois isso requer mais tempo e responsabilidade, mas a pessoa não enxerga isso claramente e  e ela não é tratada no aconselhamento ou na consultoria, pois eles não abordam essas questões com afinco. Diante disso, elas estão a tentar curar os sintomas superficiais de seus relacionamentos disfuncionais, sem examinar as verdadeiras questões emocionais. E até que as questões fundamentais sejam abordadas e tratadas, os problemas e os conflitos continuarão.

Agora você pode estar querendo me perguntar como fazer para desenvolver a inteligência emocional

Você pode fortalecer os músculos da inteligência emocional através de atividades que sejam terapêuticas para você, o autoconhecimento é fundamental neste processo de “malhar” esses músculos para que eles se fortaleçam, como exemplos temos o Coaching de Relacionamentos, a Psicoterapia, a prática de atividades físicas, cursos voltados para o desenvolvimento pessoal, etc. quando questionamos nossas escolhas, alegrias, dores, prazeres e desprazeres desenvolvemos o autoconhecimento e como feliz consequência, a inteligência emocional.

Beijos!

Deseja fazer Coaching ou Consultoria Online comigo? Entre em contato pelo email renataaraujocoach@gmail.com

Renata Araujo Coach

Oi, tudo bem? Seja bem vinda! Sou Psicóloga, Coach de Vida e Relacionamentos, Consultora em Relacionamentos Afetivos para mulheres, sou uma eterna estudante, aprendiz e apaixonada por ajudar.

Últimos posts por Renata Araujo Coach (exibir todos)

Você também irá gostar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.